Porque a Le Scarpin é uma marca Slow

Porque a Le Scarpin é uma marca Slow

Muitas pessoas nos apresentam dúvidas e questionamentos sobre o que significa ser uma marca slow fashion. Então vamos aproveitar esse novo espaço para contar pra vocês o que esse diferencial agrega em nossos produtos.

A nossa produção é manual e a escolha dos materiais é feita individualmente para cada modelo. Neste processo temos muito cuidado na escolha dos fornecedores, garantindo que eles também tenham boas práticas.

A Le Scarpin usa 100% couro, além disso, cada componente da nossa cadeia produtiva foi estudado e pensado com detalhes, de acordo com nosso propósito e com aquilo que acreditamos. Por isso, hoje eu gostaria de compartilhar com vocês algumas características que compõem nossos scarpins e influenciam diretamente na qualidade e no valor agregado que eles carregam.

Isso nos leva a uma segunda questão: um sapato nunca será exatamente igual ao outro. Todo produto manual carrega, além das particularidades de seu material, as características de quem o faz. Sendo assim, mesmo que dois sapatos tenham sido feitos um logo após o outro, no mesmo material e modelo, pelo mesmo artesão, não serão idênticos, e nós achamos essa diversidade linda, pois torna cada sapato único e especial.

Assim, chegamos ao nosso terceiro assunto, a Le Scarpin é uma marca de produção slow, se pautando em vários dos princípios do slow fashion. E para contar dessa característica para vocês, trouxemos um pouco do que é esse movimento.

O termo slow fashion, que se inspira no conceito slow food, surge por volta de 2004, no meio das revistas on-line de moda. E assim como em relação à nossa alimentação, ele incentiva que tenhamos mais consciência dos produtos que consumimos, retomando a conexão com a maneira com que eles são produzidos e valorizando a diversidade e a riqueza de nossas tradições.

Dessa forma, se dá em contraposição ao fast fashion, principal sistema de produção de moda em vigência atualmente, que prioriza uma produção em massa, em que a distribuição é globalizada, oferecendo preços muito baixos, baseados em mão de obra e materiais baratos, sem levar em conta aspectos sociais da produção, e conta com inúmeros lançamentos em um curtíssimo espaço de tempo – do processo de design e das réplicas do que é apresentado nas passarelas – para as lojas.

A moda slow questiona a ênfase do fast fashion na imagem e no novo, incentivando um modo de pensar, agir e consumir com os clássicos, em que a qualidade se sobrepõe à quantidade, buscando manter vivos os métodos tradicionais de fabricação, como o feito à mão, além da história por trás de cada produto, agregando significado para aquilo que usamos.

Sua prática preza pela diversidade; prioriza uma produção local em detrimento da global; promove consciência socioambiental; contribui para a confiança entre produtores e consumidores; pratica preços reais que incorporam custos sociais e ecológicos; e mantém sua produção entre pequena e média escalas. Tudo isso agrega valor, e a esse valor uma tomada de decisão, culminando em um processo de compra muito mais consciente.

E todos esses são valores que a Le Scarpin compartilha!

Le Scarpin - Desenvolvimento

Nossa produção é local e inteiramente artesanal. Acontece em uma fábrica dentro do próprio estado de Santa Catarina e conta somente com fornecedores brasileiros.

Buscamos trabalhar sempre com um estoque mínimo, produzindo por demanda, e sempre em uma pequena escala que respeita o tempo e a história de cada produto e de cada artesão. Por esse motivo, nossos sapatos levam um pouco mais de tempo para chegar até você do que os de outras lojas que trabalham com produção em larga escala, estoque e pronta entrega.

Além disso, nascemos com a proposta de priorizar um design clássico e atemporal, expressa na escolha de produzir apenas scarpins – explorando a criatividade e a irreverência através de diferentes combinações de cores e materiais, quanto na decisão de trabalhar somente com couros legítimos, materiais de alta qualidade e durabilidade, proporcionando sapatos que, se cuidados da forma correta, irão nos acompanhar por toda a vida. E a Le Scarpin se compromete com essa qualidade, sempre enviando a todas as clientes um manual de instruções de manutenção, para que todas saibam como manter a beleza e a durabilidade de seus scarpins.

Outro ponto com o qual nos engajamos é na adoção de preços que reflitam o custo real dos produtos, incorporando recursos e salários justos em toda a cadeia produtiva. Mas é só pensar no número de vezes que iremos usar esses sapatos, e em seu incomparável conforto, caimento e qualidade que vemos que o investimento vale muito a pena!

Caso ainda tenha ficado alguma dúvida, deixem nos comentários que logo eu respondo, e também deixo essa tabelinha que apresenta as principais diferenças entre o posicionamento do fast fashion e do slow fashion.

SLOW FASHION  FAST FASHION
diversidade padronização
global e local produção em massa
autoconsciência imagem
confecção e manutenção novidade
confiança mútua dependência

consciente dos impactos da

produção

ignora ou não tem consciência

dos impactos

preço real incorporando custos

sociais e ecológicos

custo baseado em mão de

obra, materiais e lucro

pequena e média escala grande escala
produção local produção globalizada

Espero que tenham gostado desse conteúdo, e que enviem sempre as dúvidas que tiverem e sugestões do que gostariam de conversar em próximos posts.

Beijinhos,

Vanessa Rouvier

Referência: Not Just a Label e Moda com Propósito de Andre Carvalhal. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Avise-me quando disponível Nós informaremos você quando o produto entrar em estoque. Cadastre o seu e-mail abaixo para ser avisada.
E-mail Nós não compartilharemos o seu endereço de e-mail.